Foi o nome que eu dei para explicar a uma amiga a causa e efeito do gesto de tirar a roupa, mostrando-se publicamente nu em uma praia, clube ou reunião naturista.

O grupo de naturistas Catalões que nos recebeu na praia

O grupo de naturistas Catalães que nos recebeu numa praia espanhola

O naturismo vê no nu uma forma de revitalizar o físico e de respeitar o planeta. A ideia é de dessexualizar o nu, pois realizando pelado todas as atividades cotidianas, o naturista banaliza a nudez, instaurando igualdade e simplicidade na relação com os outros.

Cozinhando no cotidiano

Cozinhando no cotidiano

Nadando na piscina

Tomando banho na piscina

Ela me chamou no facebook, para perguntar sobre o naturismo. Nos conhecemos há anos, do tempo da faculdade. Agora, esta ideia começou a ser mais viável na sua cabeça.
- Eiee! Estou pensando em conhecer um local naturista. O que tu achas?
- Fico muito contente, eu disse. No íntimo sabia que, indiretamente, eu a influenciava com meu blog. Ela, curiosa, acompanha tudo que eu escrevo sobre naturismo.
- Fico em “cólicas” só de pensar na hipótese de visitar um lugar destes. Como é ficar nu na frente de todo mundo?

Conversando animadamente na praia

Conversando animadamente na praia

Comecei então a discorrer sobre o “efeito cebola”. – Para tirar a roupa em público, socialmente, primeiro temos que vencer o preconceito, a vergonha, os tabus… E tudo aquilo que nos foi ensinando, ao longo da vida: que é feio mostrar o corpo nu, ele deve permanecer oculto, por debaixo das diversas camadas de roupas.

Naturalidade para caminhar no parque...

Naturalidade para caminhar no parque...

Precisamos enfrentar nosso preconceito, com o próprio corpo, no total ou em partes. Explico:
tem partes de nosso corpo que não queremos ver e nem mostrar, elas ficam ali, esquecidas, como se não existissem. Ao menos que, enfrentando o nosso preconceito, tomando a decisão de tirar toda a roupa, na frente dos outros, também nus, isto passe a ser encarado com naturalidade.

Muito equilibrio para surfar nu

Muito equilibrio para surfar nu

Uma maneira de integrar as partes ao todo é descobrindo-se um ser humano completo, igual a todo mundo. A igualdade nos aproxima.
Este é o ponto, ver o outro exatamente como veio ao mundo, na idade em que, há muito tempo, nem os pais conseguem vê-lo nu, que dirá outras pessoas, desconhecidas ao meio familiar.

Pessoas e lugares distantes do convivio familiar

Pessoas e lugares distantes do convívio familiar

A opinião da família conta bastante. Qual vai ser a reação deles? O que vão pensar de mim? E desta loucura toda?
Isto fica como camadas que, aos poucos, vamos retirando até ficarmos completamente nus e libertos dos preconceitos que nos aprisionam.
O nu real é aquele que nos permite descobrir nosso afeto, pelas nossas imperfeições, que nos remente a inocência de quem não é capaz de julgar o próprio corpo.

Aceitando-o como ele é, com seus registros, suas marcas de nascença ou adquiridas, isso compõe sua singularidade. O que lhe dá nome e personalidade!

Seu corpo é sua singularidade

Seu corpo é sua singularidade

Como definem as escrituras; somos argila, com setenta por cento de água, dando forma e estrutura a um ser humano. Outros dizem, somos poeira de estrelas.

O caminho...

O caminho...

Então pergunto: para que complicar e colocar mais a camada da indecisão, nesta escolha? Por que postergar, indefinidamente, a possibilidade de viver esta experiência?
Opte pela simplicidade, do caminho direto, da harmonia do corpo com a natureza, sem a interface das roupas.

A singeleza...

A simplicidade de estar nu junto à natureza

O gesto pode ser simples, mas não é necessariamente fácil. Tirar a roupa e mostrar-se requer atitude e isso, minha amiga, você tem de sobra. Seja benvinda!